Para muitos, existe uma dose de charme e genialidade em contar uma história visual onde não se trocam palavras. Os gestos, as expressões e demais as minúcias artísticas conferem uma universalidade à obra que a torna especial. É o caso do curta: FUGA.

Produzido em 2012 e ganhador de vários prêmios, é trabalho de Juan Antonio Espigares que o dirigiu e escreveu.

Para não correr o risco de soltar spoilers, deixo apenas a própria sinopse do curta: “Sara, que acabou de chegar no Convento de Santa Cecília, irá descobrir que existem diferentes maneiras de interpretar cada lado do prisma pelo qual ela percebe sua realidade e talento.”

FUGA de Juan Antonio Espigares no Vimeo.


Capa: Reprodução.