Em mais um trabalho inspirador, a equipe do Zen Pencils ilustra um trecho da autobiografia de Jacob. A. Riss (1849-1914) – fotógrafo, jornalista e ativista dinamarquês que imigrou para Nova Iorque aos 21 anos.

Tendo sido fortemente tocado pela situação em que a vivia a classe trabalhadora de NY no final do século XIX, dedicou-se a registrar e mostrar tudo o que via. Ele reconhecia a grande dificuldade em se lutar por melhorias na condição de vida para a população geral.

cortador de pedras

“E eu sei que estava certo. Mas é preciso falar muito para fazer que uma cidade saiba que está fazendo errado. Contudo, era pra isso que eu estava lá. Quando nada parecia ajudar eu ia e observava um quebrador de pedras martelando sua rocha a esmo, talvez cem vezes sem aparecer uma rachadura sequer. Porém, na centésima primeira martelada ela se partia em duas. E eu sabia que não fora aquela golpe que a partiu, mas todos os outros que vieram antes. Quando meus colegas riam, eu costumava lembrá-los dos Israelitas que marcharam sete vezes ao redor de Jericó e tocaram suas trombetas antes que as muralhas caíssem.
‘Bem, vá adiante e sopre a sua,’ eles diziam; ‘você tem a fé.’
E eu soprei, e as muralhas caíram, muito embora tenha levado o dobro dos sete anos. Mas elas vieram abaixo, como os muros da ignorância e indiferença deverão cair todas as vezes, se você soprar com força e por tempo suficiente, com fé em sua causa e em seus companheiros. É apenas uma questão de resistência. Se você continuar, eles não conseguirão.”


Você pode conferir um pouco do trabalho fotográfico de Riss clicando AQUI.

O quadrinho se chama Stonecutter (Quebrador de pedras, em tradução livre) e foi livremente traduzido pelo catavento*.

  • Share this on WhatsApp
  • Pin this page0
  • 13
Assine nossa newsletter. É grátis!

Assine nossa newsletter.
É grátis!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba, semanalmente, doses de inspiração do catavento*

Deu tudo certo =) Obrigado por assinar nossa newsletter!

Simple Share Buttons