Sempre achei incrível um projeto que conheci ainda na universidade. A biblioteca da instituição tinha um setor de audiolivros, gravados em VHS (quando não se usa imagens, elas permitem gravar acima dos tradicionais 120 minutos) para os deficientes visuais que frequentavam área de livros em braile. Estudantes de radialismo poderiam ser voluntários e fazer a gravação, ajudando pessoas da cidade a ter acesso a obras que não tinham versão na linguagem dos cegos.

O princípio do aplicativo Be My Eyes é o mesmo, colocando como vetor as videoconferências. Sendo basicamente um videochat para iPhone, o app conecta deficientes visuais a pessoas que podem descrever a eles o que a câmera está mostrando.

be-my-eye-2015-01-16-01

A proposta é um passo a mais de acessibilidade e de ressignificação da conversa entre estranhos pelo mundo digital. Mesmo que dispositivos iOS ou Android tenham funções visando facilitar o uso por pessoas cegas, a proposta do Be My Eyes conecta pessoas enquanto resolve um problema cotidiano.

Mais ideias como essa em 2015 e o ano tem tudo para ser mais inspirador.

Be My Eyes é gratuito e está disponível para iOS.