[dropcap1]U[/dropcap1]m fim de semana lastimável para o futebol brasileiro e uma foto que redefine o nosso modo de ver uma situação. Aos 17 minutos do primeiro tempo de jogo entre Atlético Paranaense e Vasco, neste domingo, uma briga entre torcedores se iniciou e durou por eternos 4 minutos. Transmitida ao vivo pela TV Globo, a violência passava de todos os níveis imagináveis: brigões desacordados eram pisoteados na cabeça por diversas vezes, como a figura sendo socorrida na foto de Heuler Andrey, da Agência O Globo (abaixo).

Dois jornais brasileiros trouxeram em suas capas a mesma foto. A visão do torcedor sendo socorrido, descendo pelo alambrado em sua maca, sendo erguido como o Cristo crucificado. O pano vermelho que cobria sua nudez relembra o sangue; os que o seguram não são seus algozes, mas os que o salvam. O olhar do fotógrafo levou o Diário de Pernambuco a uma metáfora pontual: “Paixão Distorcida”, diz a manchete. A paixão do torcedor violento, a paixão da vítima, do Cristo – retomado rapidamente como metáfora, mas não totalmente. Na manchete do caderno de esportes do Diário de São Paulo, o texto “Caímos Todos”, com referência ao caminho do Vasco à segunda divisão, ao cair de susto diante da situação e –  por que não? – à queda, ao pecado original.

 

violenciafutebol01

violenciafutebol02